Cirurgia Bariátrica

Indicações

Segundo o Ministério da Saúde, a Cirurgia Bariátrica (ou Cirurgia da Obesidade) está indicada para portadores de Obesidade Mórbida, ou seja, pessoas que possuem IMC (Índice de Massa Corporal) igual ou maior que 40 kg/m² (o seu peso em quilos dividido pela sua altura em metros ao quadrado) que não tiveram sucesso com outro tratamento por dois anos; ou para portadores de obesidade com IMC maior ou igual a 35 kg/m² que possuem doenças desencadeadas ou agravadas pela obesidade.

O programa de tratamento aos pacientes com obesidade mórbida inclui a Cirurgia Bariátrica e avaliação multidisciplinar com cirurgião, clínico, nutricionista, psicólogo(a), psiquiatra, endocrinologista e cardiologista. A conclusão da cirurgia não finaliza o tratamento da obesidade, pelo contrário, é o início de um período de um a dois anos de mudanças comportamentais, alimentares e de exercícios, com monitoração regular de uma equipe multidisciplinar de profissionais da saúde.

Tipos de Cirurgia

A Cirurgia Bariátrica é o método mais eficaz, para o tratamento da obesidade mórbida.
Os procedimentos são realizados por videolaparoscopia, método minimamente invasivo e aplicável em todas as técnicas cirúrgicas.

Há várias técnicas cirúrgicas disponíveis, dentre elas:

Gastroplastia Redutora com Reconstrução em Y de Roux (Bypass Gástrico)

O estômago é seccionado através de grampeadores e confecciona-se um pequeno reservatório (pouch”) de 60 a 80 ml que esvaziará seu conteúdo diretamente em um segmento do intestino delgado (desvio em forma de um “Y”). Esta é a técnica mais realizada no mundo inteiro, atinge uma perda entre 75% a 85% do excesso do peso e apresenta excelente índice de resolução dasdoenças associadas, especialmente entre os diabéticos.

bypass

Gastrectomia Vertical (Sleeve)

Tal técnica consiste na retirada definitiva (não há porção excluída) de toda a grande curvatura do estômago, a partir do antro (porção final), que fica então com aspecto de um tubo. Esse tubo fica com sua capacidade de armazenamento bastante reduzida (150 a 200ml). Nessa redução, se retira parte do fundo gástrico, região que produz o hormônio grelina, responsável pela sensação de fome. Essa cirurgia apresenta bons resultados em relação à perda de peso (de 60 a 70% do excesso) e a qualidade de vida pós-operatória.

sleeve

Riscos

Toda cirurgia pode apresentar riscos. Na nossa prática, conseguimos manter esse risco baixo devido a um trabalho conjunto da equipe cirúrgica e multidisciplinar.

Complicações também não são comuns, mas podem ocorrer em torno de 1% dos casos. Entre as complicações que mais preocupam o cirurgião estão a trombose venosa profunda, que é o entupimento das veias da perna; pneumonia (infecção no pulmão); atelectasia (quando parte do pulmão murcha e não quer se expandir); e finalmente a fístula quando há o extravasamento do conteúdo intestinal ou do estômago por uma abertura das costuras feitas durante a cirurgia.

Pós-operatório

O paciente deve fazer consultas e exames laboratoriais periódicos no pós-operatório, conforme o tipo de cirurgia e as rotinas estabelecidas pela equipe responsável. Em caso de doenças associadas elas devem ser acompanhadas por profissionais especialistas.
Recomenda-se ao paciente acompanhamento nutricional, psicológico e realização de atividade física rotineiramente para ajudar na manutenção da perda de peso ao longo dos anos. A complementação vitamínica poderá ser necessária (muitas vezes por toda a vida) para manter uma boa saúde do paciente e evitar complicações futuras.

Cirurgia Metabólica (Controle das doenças associadas)

A cirurgia bariátrica tem mostrado resultados importantes no controle de doenças como diabetes tipo 2, apnéia do sono, pressão alta, dores articulares, aumento das gorduras no sangue, entre outros.
A cirurgia bariátrica representa uma estratégia potencialmente útil no tratamento dessas doenças, sendo capaz de eliminar completamente ou pelo menos diminuir a necessidade de medicações para o controle da saúde em pacientes obesos severos.